Arquivo de outubro, 2014


A algumas semanas passamos pelo pleito eleitoral em todo Brasil e em Crucilândia foi onde eu pude atuar, lógico que a configuração de uma campanha em pequenos interiores Brasil afora é somente um diagnóstico de como está indo o governo local e como será a próxima eleição municipal.

Nesta última em Crucilândia os fatos foram favoráveis ao povo, o atual governo teve que se contentar com a média entre seus deputados Federais e Estuais de 45%, ou seja, o Federal atingiu a casa dos 50% enquanto o Estadual apoiado pelo atual governo somente os 40%, somando os dois e dividindo para ter a média chegamos aos 45% dito acima.

O que isso significa para o povo?

Significa que 55% da população de Crucilândia está insatisfeita com o governo que se alastra a mais de 12 anos com altos salários para a cúpula do governo (Secretariado), doações de terrenos para pessoas ligadas ao governo e ex-candidato a vereador sem contar carros batidos que ninguém sabe quem vai pagar a conta, deixando assim entender que nós os contribuintes mais uma vez iremos pagar.

Significa também que o povo está rejeitando cada vez mais a ideia do vereador executar outra função na prefeitura da cidade, assim como alguns que nem executam mas apenas recebem, sem contar daqueles que vivem de requerimentos para tentar dar a impressão de que fazem algo pela cidade como é o caso de um funcionário público que só vai em dias de reuniões na câmara a protocolar requerimentos e repassar para dar a impressão de que tal obra foi solicitada pelo mesmo, sendo que o edital de licitação já está aberto a tempos denunciando sua execução iminente.

Voltando a questão dos números devemos lembrar que quase 900 eleitores não foram votar, o que isso quer dizer? Será que quase 900 pessoas de Crucilândia não foram votar ou pessoas com votos transferidos não foram votar porque os candidatos não eram seus respectivos vereadores que sempre financiam estas viagens “turísticas” à Crucilândia em época de eleições municipais? Válido lembrar que a partir do horário de 11:30 da manhã no Domingo da eleição até por volta das 13 horas a cidade foi invadida por muitas pessoas diferentes, pessoas que também de fato raramente são vistas e sem vínculos com nosso povo, ou seja, somente uma parte dos votos transferidos foram desta vez, não todos! Se levarmos em conta estes números talvez eles não teriam atingindo nem mesmo os 40% de média.

A necessidade de um recadastramento é fundamental para que nossa câmara municipal seja eleita de forma transparente, de forma que nossos cidadãos da cidade possa eleger de fato quem quer, seja prefeito ou vereador e não este quiproquó que se tornou as eleições municipais.

Nos créditos finais desta postagem somente temos que agradecer a todos que estão enxergando que o caminho da nossa cidade não pode ser com absurdos acontecendo, não pode ser uma cidade que a prefeitura se tornou cabide de empregos e muito menos quando pessoas que trabalham de sol a sol tem um salário miserável comparado aos demais funcionários da cúpula, sem contar também do salário dos professores que nem chegam perto aos R$ 4.400,00 pago a todos os secretários de governo.

Também não pode ser uma cidade que vive sem investimentos na educação e saúde, sem contar a falta de esporte e cultura. Não podemos abaixar e nos contentar com migalhas e gestões atrapalhadas, não podemos nos contentar com “asfaltos” que com menos de dois anos se desfragmentam perante a obras suspeitas, também não podemos deixar calar nossa vontade de justiça e crescimento humano.

O cheiro desta eleição foi de mudança e de justiça que estão por vir.

Anúncios